''Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais, quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou;
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.
Cuida de mim enquanto não esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto finjo, enquanto fujo.
Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas, crio asas, viro querubim
Sou da cor, do tom, sabor e som que quiser ouvir
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir
Quero mais, quero a paz que me prometeu
Volto atrás, se voltar atrás assim como eu.
Busquei quem sou
Você, pra mim, mostrou
Que eu não sou sozinho nesse mundo.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto fujo...'' 

-
Cuida de Mim - O Teatro Mágico

“Ser ou não ser, eis a questão”

O tempo passa...
Andamos, votamos, voltamos, acreditamos, esquecemos!
Tem a fase do '' eu sou a pessoa mais triste do mundo'', tem outra pior '' será que Deus existe?'' e a vida vai seguindo sua trajetória! No meio do caminho vamos colecionando sorrisos, lágrimas, histórias de amor e ódio, aprendemos a nos levantar sem colocar a mão no chão para ter aquele apoio, afinal as coisas mudam e o chão tem areia demais para que a nossa mão delicada e limpa se suje por tão pouco, por tão pouco. Aprendemos a sofrer menos quando uma boneca não nos serve mais, aprendemos a ser essas bonecas e a não sofrer quando nos jogam fora. Aprendemos a respirar antes de falar merda, aprendemos a não errar depois de ter errado. Aprendemos a fazer dos erros o maior acerto das nossas vidas. Aprendemos tanto que esquecemos que aprendemos e caímos no mesmo buraco, é fogo. Bom é quando começamos a ver Deus nas coisas mais lindas,  quando começamos a mudar para melhor, ou a tentar. A tentativa é essencial, é nossa. Aprendemos a esperar e não a projetar, como diz Caio: "Mania de esperar que as coisas sejam dum jeito determinado, por isso a gente se decepciona e sofre." Aprendemos a descartar e esquecemos como é empurrar com a barriga. Aprendemos a ser quem somos e continuamos a aprender, pois não há um fim, na minha vida não há fins, é imortal. Meu sempre existe e é concreto, e eu me prometo fazer de tudo para continuar a minha longa caminhada à auto-descoberta!