Palavras




Suas palavras são como os sonhos não sonhados
Como o beijo, não beijado
Como a vida, não vivida
Como aquela lágrima que não suavizou a alma 
no momento que foi machucada...

Suas palavras são como as folhas do outono
Que queriam tanto ter um dono, 
Mas não sabem o caminho da sua vida

O silêncio é uma forma de palavra
É o coração falando à alma
É o olhar sentindo as palavras 
Como o silêncio de uma noite estrelada

Me ama que farei das tuas palavras 
A razão de viver de uma alma magoada
Renascendo das cinzas a essência de um ser
Onde o mundo se torna justo,
Onde tuas palavras aumenta o desejo de viver de um pobre moribundo.

Amanda Cavalcanti 12/11/2007


Nenhum comentário:

Postar um comentário