Ao escrever sua história

Tire os parênteses da sua vida, tire as aspas também, esqueça as entrelinhas e entre as suas linhas viva, reviva, sobreviva. Use o marca texto nas situações felizes e o corretivo nas tristes, mas nunca se esqueça que a marca branca deixada pelo corretivo é o resultado de uma coisa que não deu certo, mas que você teve a chance de escrever por cima, agora com mais cuidado e atenção para não cometer os mesmos erros, por que se você errar novamente terá que passar o corretivo de novo e isso estragará sua linha.Use a borracha sempre que puder e recomece a escrita sempre que for necessário, por que nessa vida o que importa não é se você escolheu uma lapiseira ou um estilete para fazer uma ponta, mas sim se você conseguiu a forma do lápis necessária que possibilita sua escrita, logo nunca permita que o instrumento seja maior do que seu objetivo ao usá-lo.

Se não entendeu o parágrafo não sinta vergonha de ler e reler até compreendê-lo, não finja entendimento, não fale com a voz de outro personagem, deixe bem claro quem são os protagonistas e figurantes da sua história e respeite o papel de cada um na sua vida. Faça da sua existência seu livro de cabeceira, leia umas páginas antes de dormir, pense no que poderia ter sido diferente, dê umas cópias de presente de Natal a quem você ama... Seja leve como um poema de Drummond, tenha segredos como nos livros de Agatha Christie, seja simples como os contos de Caio Fernando Abreu, espiritual como os escritos de Paulo Coelho, profundo como o mistério de Clarice Lispector, mas, acima de tudo, que você se reconheça na sua história e que saiba quem é independente do que ou quem seja.

Oração de Mim

Que eu me encontre dentro dos meus caminhos;
Que eu saiba em que porta bater e entrar para ajuda receber;
Que eu não tenha vergonha de demostrar fraqueza;
Que a amargura do mundo não afete o meu sorriso;
Que pelo meu sorriso seja o motivo da minha maior felicidade;
Que eu saiba perder, parar, recomeçar;
Que eu consiga me perdoar primeiro antes de perdoar o outro;
Que eu tenha a leveza da alma de uma criança que está conhecendo o mundo;
Que o mundo conspire ao meu favor;
Que eu saiba lutar pelos meus objetivos sem passar por cima de ninguém;
Que eu tenha paciência para entender que o outro não sou eu e que o meu eu não está no outro;
Que minha maior expectativa seja sobre minha própria vida;
Que meus olhos nunca deixem de brilhar frente a simplicidade;
Que a verdade sempre prevaleça no meu discurso e que o que seja dito seja vivido;
Que eu consiga sugar o lado positivo de uma situação difícil e que as pedras no meu caminho tenham o formato de coração;
Que eu tenha inteligência para entender que sempre terei um vazio dentro de mim e que isso nunca seja motivo para eu meter os pés pelas mãos;
Que eu seja viva, seja humana;
Que eu nunca perca essa capacidade de sentir;
Que eu use os meus defeitos ao meu favor;
Que eu ame, que eu ria, que eu chore, que eu erre, que eu perca,
Mas, acima de tudo, que eu recomece outra e outra vez sem nunca perder a esperança!
Amém.

Com outros olhos

A todo momento espio a vida de uma menina, espio mesmo a ponto de pensar que ela sou eu, ou eu ela, não sei bem ao certo. Ela é pequena, medrosa e solitária ao mesmo tempo que é forte, profunda e sincera. Ela se acha diferente, mas em um filme ela começou a questionar o quão diferente seria quando em uma cena uma personagem perguntou "quem não se acha diferente?", com isso ela percebeu o quanto os seres humanos são iguais em tantos aspectos.

Ultimamente a tenho visto derramar muitas lágrimas e pensei comigo mesma que se para cada lágrima derramada um sorriso de um criança fosse dado, o mundo seria mais feliz, o mundo seria mais bonito mesmo que constituído com base na sua tristeza, ela não se importaria, tenho certeza.

Um dia tive o desprazer de observar também a sua família, percebi que são bem maiores que ela e quando ela está perto deles, quase não aparece, não sei se isso só acontece no meu imaginário ou se realmente é assim, as vezes é difícil separar o concreto do abstrato, o certo do errado, o bem do mal. Percebi que as lágrimas mais pesadas são expelidas quando alguns familiares despejam algo cruel e sem vida em cima dela, olhei direitinho e vi que eram palavras sendo jogadas, que estranho. Quando algo assim acontece eu vejo um comportamento estranho nela, ela fica com as mãos estendidas como se estivesse procurando algo no escuro, mas está claro e nada há ali, só esperança, acredito.

Quando ela não encontra o que procura é que chora mais ainda, é tanta angústia que até eu posso sentir. Um dia prestei atenção em uma conversa que ela tava tendo no espelho, não entendi no começo, mas depois percebi que ela falava sobre as mãos estendidas, entendi que ela procura por um muro quando está triste, esse muro era o seu amparo, seu descanso, ela amava o muro, mas o muro também se tornou maior do que ela e ela não o mais reconhecia, ela dizia no espelho que fez o que poderia ter feito para que ele permanecesse ali, que o pintou, que o entendeu, que o fez de mural e colou só as coisas mais bonitas para que ele ficasse feliz, mas que nada deu certo e que o muro estava aumentando seu sofrimento, ela teve que o destruir, ela não queria, mas precisava. Fiquei em silêncio, imaginei o quanto deve ser difícil desistir do que se ama, "as vezes é necessário", completei meu pensamento.

O que me encanta nessa menina é a força que ela tem, ela nem sabe o quanto é grande, eu que estou de fora posso observar melhor isso. Nesse momento ela está no fundo do poço, num abismo sem fim, mas ela acabou de gritar de lá que com suas lágrimas irá encher o poço e assim poderá sair dele, que coisa bonita não? tentar achar o lado bom do abismo? Torço muito por ela, para que ela encontre o muro dentro dela mesmo, para que ela seja maior do que qualquer outra coisa.

"Bernardiando"

Foi ai que eu encontrei esse texto e senti uma enorme necessidade de posta-lo!

Eu era sua, a sua menina, a sua criança, a sua mulher, a sua escritora predileta, a sua parceira de dar risada de programas estúpidos que passam de madrugada na TV, a sua namorada sensível que tinha medo de vomitar e de amar demais, assim como você. A sua melhor amiga pra sentar num banco de praça e falar mal de todo mundo, pra perder um trem na Itália e ainda por cima sentar num chiclete fresco ou pra cuidar do nosso porquinho de pelúcia. Eu era a mulher que encaixava a cabeça nas suas costas e sabia que tinha nascido a partir de você, eu era a mulher que esperava sofridamente você voltar mas nunca deixou de te amar mesmo quando você ia.” (Tati Bernardi)

Eu era, do verbo cansei!

A Perda

"Perder é um verbo vago
Pode ser por descuido
Pode ser por estrago
Pode ser que estava escuro
Pode ter sido por descaso
Pode ser no jogo
Pode ser a carteira
Perder queimado no fogo
Ou perder o fogo da fogueira.

A perda é variável
Uma substituível
Outra irreparável
Uma eu esqueço
Tem perda inefável
Tem perda que se perde
Tem perda que é achável
Tem perda que nem nos damos conta
Tem conta que perdemos em aposta
Perde-se a noção quando se fica tonta
Perde-se a visão quando se está nas costas

Há perda injusta
Há perda merecedora
A perda suja
Há perda esmagadora
Perda pra aprendizado
Perda pra amadurecimento
Perda pra sentir calado
Perda pra gritar ao vento
Chinelo, carteira, celular,
Guerra, bingo, jogo de bilhar,
Amigos e farras pra celebrar,
Inimigos que o perdão faz curar.

Diante do mundo não se contabiliza quantas perdas são
Mas mensuro a maior perda a perda do coração
Pois distribuímos pra cada ser que nos cativou
Um pouco de nossa emoção
E quando esses embora se vão
Levam consigo o que antes nos pertencia
Mas faço uma ressalva a algo que nunca se perdia
São as memórias que ficam daqueles que partiram
Não importa se com mágoa ou não
Nada apaga da memória os donos de nosso coração
Pois foi com eles que compartilhamos muito de nossa vida
Em meio a beijos, abraços, brigas e intriga
Foram eles que estavam do nosso lado no primeiro passo tremido
Ou que nos ajudaram com o primeiro coração ferido
Mediante a importância da memória
Viveremos, lógico, o hoje, mas lembraremos do passado com glória
E ainda que a saudade deixe o mais bravo homem ferido
Haveremos de ser felizes pelas memórias do que temos vivido
Pois pior seria se nunca houvesse tido
Tais memórias de momentos tão felizes
E é por isso que mesmo triste
Mesmo que o tamanho dessa tristeza não possa ser aferido
Em meio às lágrimas abriremos um belo sorriso.


Para Amanda Cavalcanti;
Homenagem ao Senhor José Almeida, in memória.
(Autor: Victor Barbosa da Costa)

A arte de sorrir.

Tantas coisas afastam o teu sorriso, tanta coisa acontece ao mesmo tempo e parece que o fundo do poço não tem fim, não tem mesmo não, mas o que acontece é que se você não parar e procurar escalar até a saída do poço você morre afogada, afogada nas mágoas.

É difícil manter um sorriso quando você é uma pessoa que encara os cantos coloridos que se encontram nas esquinas do seu temido interior. A introspecção é uma arte e uma tortura, mas tudo que é verdadeiro tem o lado bom e o lado ruim a mostra, bem escancaradozinho mesmo, vem vergonha nenhuma na cara.Haha.

“Ser como um rio que flui
Silencioso no meio da noite
Não temer as trevas da noite
Se há estrelas no céu, refleti-las.
E se o céu se enche de nuvens
Como o rio, as nuvens são água;
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades traqüilas”.

Manuel Bandeira



(Imagem do filme Intocáveis, filme maravilhoso.)

Infantilidade

Me chamam de infantil por eu sorrir demais, mas não sabem do que eu sou capaz. Aliás, quando me chamam assim muitas vezes considero um elogio, porque criança que é infantil (pois há crianças adultas) tem olhos de descoberta, vê o mundo com olhos de admiração e procura, criança confia, sorri, ama e confia, confia e confia... Criança de verdade não finge estar feliz, não diz que gosta sem gostar de alguém, faz cara feia e de nojo e só abraça forte quem realmente importa! Criança só vai para os braços de quem AMA!

Uma coisa que eu percebi é que as pessoas são muito IGUAIS, isso mesmo IGUAIS! Nada disso que cada cabeça é um mundo, pode até ser, mas só na forma em que as coisas acontecem e o que cada pessoa faz com as coisas depois que acontecem. Mas o lado egocêntrico é IDÊNTICO. A maioria das pessoas se acham maduras, acham que possuem os maiores problemas, se acham profundas demais capaz de mudar o mundo com as suas palavras tão sábias, todas sofrem ou sofreram por amor e desejam ter uma vida diferente da dos familiares. O que é pior pra mim é que elas fazem perguntas e não são capazes de escutar uma resposta que não seja a que ela pensou que seria dada. Aff, que enjoo.

Eu só preciso agir de acordo com os meus pensamentos e serei feliz. Sentimentos verdadeiros oferecidos a mim ficarão ao meu lado! E só.

"Eu quero o diferente. Cansei de pessoas iguais, sonhos iguais, modas iguais, conversas iguais.” Caio Fernando Abreu


Palavras de Paulo Coelho

"Já passei por isso", ele reclama com seu coração. "Realmente, você já passou", responde o coração. "Mas nunca ultrapassou".

O guerreiro então compreende que as experiências repetidas tem uma única finalidade: ensinar-lhe o que não quer aprender.


Manual do Guerreiro da Luz - Paulo Coelho

Amar e sofrer, um paradoxo ou um pleonasmo? Sinceramente, eu tenho minhas dúvidas. Todas elas! Estou em uma fase de desacreditar em tudo e em todos, se é que algum dia eu já tive outra fase, estou esquecendo de muitas coisas também, mas enfim, é só uma fase e elas servem para nos deixar mais fortes quando conseguimos passar por elas, espero que eu consiga!

O medo.

Eu iria escrever, juro. Tenho tanta coisa para falar, para expor, para exorcizar, para jogar fora... mas não consigo escrever, um dia quem sabe.

Algumas observações.

A decepção é filha da expectativa.

Seria tudo tão mais fácil se não esperássemos nada das pessoas e deixássemos elas simplesmente serem como são, sem esperar, só receber. Iríamos nos surpreender a cada gesto, amar mais cada detalhe, sofrer menos com uma atitude que ela teve e que não achamos legal, sofreríamos menos justamente pelo fato de não formarmos um modelo de atuação da pessoa, um ato "feio" seria só mais um ato que nos surpreendeu e que logo seria resolvido.

Queria que o mundo fosse mais leve, queria que o meu mundo fosse mais leve, mais de verdade, mais tanta coisa... Queria que as pessoas dessem mais valor ao que vem de dentro, ao que vem da alma, ao que vem de um sorriso, de um abraço, de um cuidado, de tanta coisa. Queria que as pessoas não achassem que um indivíduo tem que ter uma postura adulta ao chegarem nessa idade, o que seria ter uma postura adulta? Qual seria a idade adulta?

Não deveríamos nunca ingressar no mundo externo sem vasculhar o interno, isso causa tremendo estrago. Não deveríamos nunca lutar com o mundo externo para mostrar que merecemos respeito, deveríamos ser capazes se nos bastarmos, de sermos completos antes de criarmos laços pelo mundo.

Fernando Pessoa tem uma frase que traduz exatamente o que eu quero dizer, a frase diz que "enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão,continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um." Esse "viver a dois" se refere a qualquer pessoa no mundo que possamos ter alguma relação de troca. Procuro palavras para tentar explicar o que eu quero dizer, mas não as encontro, talvez eu ainda tenha muito caminho pela frente nas estradas da minha própria solidão para que um dia eu possa ter todas as palavras e todos os sorrisos. Talvez.

E eu fico espantada com o quanto que um ser humano cresce com a dor. Poderia ser com a alegria. Isso deve seguir a mesma regra que faz a gente chorar ao nascer. Poderíamos sorrir.

Sei lá.

"Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual porque, sinceramente, sou diferente." (Clarice Lispector)

Inefável

"Inefável" é a minha palavra preferida, significa aquilo "que não se pode exprimir pela palavra. Encantador, delicioso, inebriante (via priberam)". E é assim que é o meu amor pela pessoa que escolhi viver o resto da minha vida, se Deus quiser e se continuarmos fazendo por onde, continuaremos, claro! Esse amor chegou para me mostrar o quanto que se pode ir além quando se tem asas, veio para me mostrar que as coisas podem ser vistas de uma forma mais bonita, como uma pintura em um quadro, e que a vida é leve e muito boa. Veio para me deixar frente a frente com meus bichos-papões me mostrando sempre que eu sou bem maior e melhor do que qualquer medo e do que qualquer tristeza. Esse amor esteve ao meu lado nos momentos mais difíceis, sempre me dizendo que ia tudo dar certo mesmo quando nem eu acreditava mais em mim...

Algumas vezes o meu amor fraquejou, algumas vezes eu o fiz fraquejar e vice-versa, mas o amor é assim, ele coloca algumas armadilhas no caminho para ver se somos realmente capazes de estarmos presentes "na alegria e na tristeza" e se, apesar ou a pesar de tudo o que acontece nesse tempo, somos capazes de fazer de tudo para continuarmos esse caminho ao lado do outro é porque nosso amor está ali, nos mostrando que amar é o que importa!

Quem eu escolhi passar a minha vida é uma pessoa muito maravilhosa, cheia de qualidades e de defeitos. O que torna o nosso relacionamento perfeito e a sua própria imperfeição, até porque ninguém aguenta perfeição, e estar junto a ele significa buscar o melhor de mim para a pessoa que muito me ajudou a ser EU. É complexo, eu sei... mas quem já amou de verdade um dia pode saber do que eu estou falando!

Amo dar cheirinho no sovaquinho do meu amor, amo quando ele nota que eu estou estressada e diz "amor, isso é TPM, depois passa", amo quando ele vê que está sendo orgulhoso, olha para baixo, faz um bico e diz quase que para dentro de si "desculpa, estou sendo orgulhoso sim", amo quando ele conta piadas sem graça só para tentar arrancar um sorriso do meu rosto, e consegue, amo quando eu tenho crises de ciúmes e ele responde tudinho fazendo aquela voz de cuidado que só ele tem, amo quando ele canta, quando ele atende o telefone, quando ele me coloca para dormir, quando ele... quando ele... quando ele... MAS vale ressaltar que odeio muita coisa também, as quais não vem ao caso, pois esse é um post de comemoração (quando ele me irritar eu me vingo pelo blog HAHAHAHAHA).

Obrigada por tudo Bah, obrigada por me amar do jeito que eu sou e por me ajudar a ser como eu não quero ser, a gente só cobra um do outro o que faz mal a cada um individualmente, não porque quer moldar o outro por capricho ou vaidade, para nosso próprio benefício. Eu gosto disso. Gosto da confiança e liberdade que temos também. Gosto de você. Amo você.

Obrigada pela sua leveza... ❥.

"Nas Margens de Mim"

Um dia Caio Fernando Abreu falou em um dos seus contos que “o mundo, apesar de redondo, tem muitas esquinas” e é exatamente sobre essas esquinas, ou do que eu perco em cada uma delas, de que esse texto se trata. Não sei se é a modernidade, a era digital ou insensibilidade coletiva, só sei que essa moda de tornar as coisas substituíveis é considerada por mim o mal do século, em cada esquina que passo sinto que há pedaços da minha pessoa jogados por outras que passaram primeiro por lá.

A todas as pessoas que amo eu dei um pedaço de minha essência , o que na verdade não sei se foi uma coisa boa, amei, amei muito, do jeito que é (ou deveria ser) o amor verdadeiro: Conversei, escutei, aceitei defeitos, briguei, chorei, odiei, insisti e lutei (lutei muito) para manter tais amizades. Quantas vezes eu me magoei com um ato de um amigo e fiquei bem quase que no mesmo instante por saber que ele era assim, com quase todas as pessoas, e que isso não passava de um defeito comparado a inúmeras qualidades? Muitas vezes! Quantas vezes eu não vi um amigo “amar”/ procurar/ cuidar mais de uma pessoa que conheceu pela internet e me deixar de lado sem dar nenhuma importância ao calor do meu abraço? Quantas vezes eu me vi marcando algo com o grupo de amigos e 70% não foi e nem mandou mensagem ou ligou (ou fez qualquer outra coisa que se faz quando se ama a outra pessoa)? Quantas vezes eu vi um amigo perguntando algo por curiosidade e não por cuidado e/ou preocupação? E me vi insistindo por uma conversa de esclarecimento e me vi mostrando ao meu amigo o quanto que ele estava me deixando de lado e me vi perdendo os meus pedaços...

Amor não se pede, não se implora! Não é essa a minha intenção ao lutar (lutei) pelas minhas amizades, eu insisto (insistia) por que um dia elas fizeram os deuses/ os anjos/ os espíritos de luz/ eu acreditarem em tal amor e sou do tipo de pessoa que cobra o que me foi prometido, infelizmente!

Acho a maior covardia é alguém abandonar outra sem uma explicação, uma conversa ou um motivo, visto que acredito que o amor pode acabar (por motivos que não vem ao caso citar) seria muito mais fácil saber o porquê do abandono do que ser simplesmente jogada em algumas esquinas do mundo!

Costumo dizer que uma relação para ser constituida como tal, seja entre namorado/ família/ amigos, precisa de TROCA, de RECIPROCIDADE, entre duas pessoas no mínimoe eu cansei de amar sozinha. Estou na fase de sair pelas ruas coletando meus pedacinhos e de ter crises de solidão.

Não sei se é amor o que eu sinto por tais amigos, talvez seja, até porque se odiamos ou ficamos magoados com uma pessoa é porque ainda nutrimos algo por ela, deve haver alguns resquícios de sentimento nas partes de mim que ainda me restam (tem sim), porém quero exorcizar qualquer coisa que venha me deixar triste, quero ser indiferente, quero ser completa.


"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."
O Pequeno Príncipe

Memórias

Ali tinha um guarda-roupa, uma cama... ali era um quarto. O guarda-roupa foi fora jogado, a cama desmontada e o quarto, que ali era, agora está pintado! Na sala havia uma parede desbotada e uns cds, os quais agora tocam lembranças, colocados de uma forma única em cima da estante velha. A sala está vazia, a parede também foi pintada e os cds encontram-se estocados em uma gaveta qualquer. No banheiro não mais se escuta o pedido desesperado que apressava qualquer pessoa a sair de dentro dele, não se escuta os passos arrastados dotados da função de avisar a sua triunfante chegada, não se escuta o pigarro e nem tão pouco sua tosse... todos tão únicos, tornaram-se tão belos! Não há mais aquele rosto, tantas vezes mostrado triste, para ser contemplado e muitas vezes esnobado por alguém que teve um dia cansativo. Que saudade daquele "boa noite" quase dito para dentro, para si.

Palavras

Suas palavras são como os sonhos não sonhados
Como o beijo, não beijado
Como a vida, não vivida
Como aquela lágrima que não suavizou a alma
no momento que foi machucada...

Suas palavras são como as folhas do outono
Que queriam tanto ter um dono,
Mas não sabem o caminho da sua vida

Seu silêncio, seu olhar
todos me falam para eu te deixar passar
mas é muito difícil tomar a decisão de calar

Me ama que farei das tuas palavras
A razão de viver de uma alma magoada
Renascendo das cinzas a essência de um ser
Que tornará o mundo mais justo,
Onde tuas palavras aumentará o desejo de viver de um pobre moribundo.


Meu amor pelo Chaplin


Quando eu era criança, bem pequena mesmo, andava pela casa da minha vizinha com a cabeça baixa toda vez que passava por um quadro que tinha a foto de um homem estranho com um bigode, um chapéu e uma bengala que me assustavam, tinha muito medo mesmo. Fui crescendo e o quadro se tornou insignificante para mim. Um belo dia, desses que ficamos procurando textos na internet, achei um texto lindo que me emocionou muito e que no final tinha o nome de Charles Chaplin como autor, ai pensei: como fui capaz de ter tanto medo de um ser que escreve desse jeito? A partir daí comecei a pesquisar a sua biografia e a ver seus filmes, não foi amor à primeira vista, mas foi amor!

Como não se encantar com uma pessoa que, apesar de ter uma infância tão sofrida, de começar a trabalhar ainda criança e de ter a mãe internada em um hospício, possui um brilho tão verdadeiro nos olhos? Como não achar linda a forma que ele começou a fazer mímica e a dizer tanto com o silêncio, ele diz MUITO com aquele silêncio...

Como não se emocionar com suas obras de arte em preto e branco The Kid, Luzes da Cidade e com o seu discurso PERFEITO de O Grande Ditador? IM-POS-SÍ-VEL não amar!

No final de tudo, o texto que fez eu me encantar com Chaplin não era dele. Fiquei sabendo disso porque ele foi recitado no programa do Faustão e foi dito que era de autoria do Chaplin, no outro domingo Faustão corrigiu dizendo que o verdadeiro autor entrou em contato para dizer que que não era de Chaplin, e sim, dele! Porém, depois de tudo que aprendi com meu querido "eterno vagabundo errante" o texto foi o de menos e ainda bem que eu o li! rsrsrs.

Parte do discurso que Chaplin fez em O Grande Ditador:
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.


Chaplin morreu no dia 25 de dezembro de 1977 enquanto dormia, deixou uma grande saudade e um sorriso eterno em muitas pessoas!

Uma (quase) carta à Felicidade.

Não sei, talvez a Felicidade goste de deixar as pessoas acordadas quando ela está presente, igual àquele amigo enxerido que te liga de madrugada e reclama da sua voz de enjoo ao falar. Tenho muitas dúvidas sobre ela, talvez goste de pessoas que se joguem no barco e vivam aquele momento, pode ser que ela queira ter motivos e inspirações para poder bater na nossa porta toda charmosa nos chamando para dar uma volta pelo parque ou quem sabe ela simplesmente aparece sem um motivo convincente!

Ah Felicidade, não sei qual é o teu critério para vir me fazer feliz, mas te peço que venhas, te prometo café frio e meu corpo quente, um abraço apertado e se estiveres com fome te faço pipoca com queijo ralado e coca gelada, tu vens?

Sim, iria esquecer, quando você vir me dá aquele abraço não se preocupe com a Tristeza, a mandarei catar coquinhos lá em Itamaracá, mas olhe, preciso que venhas JÁ!

Um abraço com sabor de abraço e aquele sorriso que você me deixou na sua última visita!

Não é fácil dizer adeus...

A morte de uma pessoa que amamos deixa um vazio impossível de ser expresso com palavras. É uma dor que aumenta cada vez que algo a toca, é uma tristeza tão triste que temos a sensação de que podemos pegá-la, ela se torna palpável. A morte de quem amamos é o fato que marca a maturidade da nossa tristeza, sua passagem do plano abstrado para o concreto, contretíssimo!

É uma dor, uma perda que deixará para sempre um vazio no seu coração impossível de ser preenchido por qualquer outro ser humano. O engraçado é que desde que somos crianças sabemos da existência da morte, de que a vida não é eterna e até acreditamos que deve ser fácil lidar com a perda, mas acredito que nosso inconsciente acha que as pessoas que amamos são imortais e nós só nos damos conta do contrário na hora em que ficamos sabendo que nunca mais iremos escutar os passos arrastados de um alguém especial, nunca mais poderemos beijar o seu rosto oleoso e que nunca mais, nunca mais mesmo, iremos escutar a voz de irritação da pessoa que formou nossas vidas, nos ensinando a dar os primeiros passos...

Enfim, a morte é a única certeza que temos sobre a vida, mas com certeza é o fato que mais marcará a sua passagem pela terra, será o fato que mais vai te machucar, mudar e ensinar.

Não é fácil dizer adeus...