Mas eu sei que alguma coisa aconteceu, tá tudo assim, tão diferente...

Nunca dê uma volta pelo passado achando que vai viver exatamente o que se foi vivido outrora. Nunca se repetirá! A emoção não segue uma regra ou um ritmo definido, a emoção é argila que se molda de acordo com o toque, de acordo com a vontade viva que torna cada sensação única, ímpar. Nem mesmo um filme visto pela segunda vez nós diz a mesma coisa, da segunda vez notamos mais detalhes, observamos o sorriso de canto dado pela protagonista após alguma conquista, até nos permitimos fechar os olhos quando toca a trilha sonora e quando os olhos se fecham...

Pois é, ilusão sua achar que algo pode voltar. Se comermos hoje a feijoada de ontem te garanto que o gosto estará diferente, estará mais forte. Se formos na casa de alguma amiga novamente te garanto que o caminho não estará repousando do mesmo jeito, alguém chutou a pedrinha que estava na calçada, é como aquela velha história do rio que nunca é tocado pela segunda vez.

Do mesmo jeito ocorre na nossa relação, sabe? Nós estamos sempre nos moldando, sempre de mudança. Eu não sou a mesma pessoa depois de um filme que me faz refletir, não sou a mesma depois de um show de Lulu Santos ou Vander Lee, não sou a mesma Amanda depois de comer brigadeiro na panela. Desculpa, mas não sou! O quebra-cabeça é o mesmo, mas a forma de encaixar as peças mudou. Quando sair da sua 'desconfortável zona de conforto' proporcionada pelo seu presente e vir me visitar, lembre-se: o gosto da feijoada apurou, a pedra mudou de lugar, a minha sinopse mudou! Você não encontrará o mesmo 'final feliz'.


Fonte da imagem: Eu me chamo Antônio

Nenhum comentário:

Postar um comentário