Palavras são erros e os erros são MEUS

Faz um tempo que venho escrevendo de caneta no meu caderno. Na minha vida também. É porque hoje me parece que o que me faltava era aceitar a certeza da incerteza ou ao contrário! Com isso, eu buscava a solidez de uma forma que as situações líquidas não saciavam a minha sede e eu sofria com os lábios secos por não saber experimentar e viver o que os líquidos escorriam sobre mim... Talvez a insatisfação direcionada por mim a estes líquidos ainda escorra pelo meu rosto, mas hoje solidifico o seu caráter metamorfósico  na minha alma. Hoje escrevo de caneta porque aceito os meus defeitos e meus erros (ou tento assim fazer), escrevo de caneta para aceitar as minhas palavras erradas e letras trocadas, assim fica mais fácil de aceitar quando passo por cima dos meus estados e evaporo, desaparecendo. Escrevo de caneta no papel para deixar registradas as minhas vontades e demandas e para entender quando os papeis referentes à minha vida são trocados tornando, assim, as letras irreconhecíveis.

Não quero o medo do lápis, não quero sua fuga e barulho, não quero apagar quem eu fui ontem ou quem, eu hoje, desejo ser amanhã. Escrevo de caneta porque meus erros e arrependimentos ficam em evidência e mesmo que eu passe corretivo por cima ainda existirá o volume em branco que se destoa do restante da folha do meu caderno, do restante da minha vida. Os lápis deixam vazios mal resolvidos, canetas deixam cicatrizes, prefiro a lembrança da minha falha ao falhar continuamente por ter apagado as minhas fraquezas, por ter apagado quem fui, por ter tentado me apagar e me reescrever sem respeitar as minhas próprias pautas.

Escrevo de caneta porque aprendi que mais importante do que não errar é acertar no respeito direcionado a mim, é aceitar a imagem que me olha no espelho. É! Simplesmente, com tudo que o verbo SER carrega consigo.
Imagem Google

Sobre a greve da Polícia Militar em Pernambuco

Postado no meu facebook dia 15.05.2014

Tenho muitos problemas com a Polícia Militar, muitas críticas e desacordos. Acho sim que ela é despreparada, principalmente ao lidar com a questão social, principalmente quando o assunto são pretos e pobres. Mas mesmo diante de tudo isso, sei da sua importância e sei que existem bons profissionais, como todo ofício sei que há muitos tipos de pessoas lá dentro. O maior problema (pra mim) é a militarização, mas não é sobre isso que eu quero falar!
Ano passado teve muitos protestos em todo o território brasileiro, todo mundo viu o modo de agir da polícia, ouvi muitos policiais falarem que os estudantes são um bando de desocupados, só se referiam a nós pelo nome de vândalos. Vi muitos dizendo que "a vontade é meter bala". O que Eduardo Campos mandou os policiais fazerem? foi muita violência, spray de pimenta e bala de borracha... Teve protesto e greve dos professores no RJ e o que houve? a mesma coisa, professores também apanham! E nos protestos em SP que estão rolando até hoje? repórteres, idosos e estudantes, todos agredidos e tratados como merda! E quando houve a greve dos motoristas de ônibus?
Enfim, o que a gente diz muito é que estamos protestando pelos policiais também, que eles fazem parte da sociedade e que quando pedimos por uma sociedade melhor, pedimos pra eles. Educação melhor para as famílias deles. Saúde melhor para eles e as famílias deles. Mobilidade melhor para eles e as famílias deles. Segurança melhor para eles e as famílias deles. Vida melhor para eles e as famílias deles (Assim bem repetitivo)! E eles continuaram e continuam agindo como se não fizessem parte do que a gente grita! E eles continuaram e continuam nos tratando como merda.

O governo que antes os afagaram é o mesmo que hoje os apedrejam.

"Ontem" nós fazíamos protestos e greves e os policiais faziam o que faziam, hoje quem esta fazendo isso são eles. Sim, eles tem todo o direito de reivindicar pelos seus direitos e não quero discutir aqui se sou contra ou a favor da greve. O que quero dizer aqui desde o começo é sobre o meu desejo de que eles entendam que o governo está contra qualquer grupo que reivindiquem qualquer coisa. Queria muito que eles entendessem e RESPEITASSEM quando nós estamos nas ruas protestando porque eles também precisam desse meio para "ter voz". Queria muito que eles fossem menos "(P)au (M)andado" é refletissem antes de apertar o spray de pimenta e antes de levantar o cassetete para um estudante, professor, motorista, cidadão, etc.

Sim policiais, a cidade está um caos, PRECISAMOS DE VOCÊS da mesma forma que VOCÊS PRECISAM DA GENTE. Então pensem antes de nos tratarem como merdas gritantes! Só isso.



Sobre o #SomosTodosMacacos

Publicado no meu facebook dia 28.04.2014

Antes de colocarmos #SomosTodosMacacos no nosso facebook deveríamos parar para pensar nas nossas atitudes diárias! No nosso último olhar de lado para uma pessoa diferente da gente na rua, na última vez que jurávamos que seríamos assaltadxs quando um ser estava andando atrás da gente... Deveríamos lembrar daqueles nossos últimos argumentos que gritaram ao mundo que bandido tem que morrer, pois só expressamos essa ideia quando o bandido é PRETO e POBRE; deveríamos lembrar do Alcides, da Cláudia, do Guilherme, do Amarildo, da infinidade de pessoas que a gente simplesmente nem ligou por ser PRETO e POBRE! Diariamente a gente joga algo na população negra, coisas que nem dá para descascar e comer... Acho super válida essa mobilização, mas que ela se ramifique aos negros que morrem todos os dias na favela, aos negros que são tratados como lixos por serem pretos e pobres, aos negros que não tem voz, aos negros que vivem nas ruas, aos negros!

Tá acontecendo uma limpeza racial nas ruas de bairros nobres e favelas por conta da copa e ninguém se doi, ninguém! Que não só nos revoltemos quando quem sofre esse racismo é um rico jogador influente, que lembremos, acima de tudo, de que antes de SERMOS TODOS MACACOS nós#SomosTodosHIPÓCRITAS! E egoístas.