Existo ou desisto?

(Sempre)
Eu erro
Eu tenho pressa
Tenho defeitos
Ajo de mau jeito
Eu sou humana  -

(Eventualmente)
Eu tenho crises de choro
Eu grito
Eu xingo
Eu quebro
Não sou de ferro -

(Acontece...)
Eu reclamo
Eu humilho
Eu cobro presença à tua ausência
Eu me vingo e me ajoelho implorando teu abrigo
Sou assim contraditória  -

(Às vezes)
Eu sinto inveja
Eu não entendo
Eu não escuto
A tua existência não percebo
Sou intolerante
Desculpa te desapontar
Pelo menos pude rimar  –

Não acho feio ou doentio os meus labirintos; patológico é andar sempre em círculos a procura do próprio rabo por não conhecer suas bordas e limites. Às vezes o nosso maior erro é negar a imagem feia que reflete e vomita o espelho. Buscamos a perfeição, mas somos incapazes de respeitar os nossos próprios “não”  –
Sou o avesso
Moro na contracapa
Escuto o meu lado b
Existo num sopro
Vou e voo com os pés no chão
Eu sou só um grão

(Eu me nego a negar quem sou)


Nenhum comentário:

Postar um comentário