As certezas e as dúvidas andam lado a lado

Sim, estamos virando robôs! Somos a própria tecnologia maquiada de seres humanos, cada vez mais nos negamos o sentir, nos negamos em negar que somos frágeis e quebráveis! Apenas nos negamos. Não aceitamos as tristezas, as dúvidas, o medo, o vazio e vamos, com o passar do tempo, nos preenchendo de uma ilusão que teima em mostrar ao exterior uma autossuficiência que, na verdade, inexiste! Resolvemos tudo engolindo um comprimido ou comprimindo um sorriso esmagado por mentiras, por automentiras! Parece que o maior pecado do mundo é mostrar que sim, necessitamos de carinho, de colo, de amor, de um ombro amigo; às vezes só o que queremos é chorar em silêncio ao lado de um alguém para escutarmos daquela boca preocupada que tudo vai ficar bem, mesmo que seja muito difícil visualizar um final feliz naquele instante. Não olhamos nos olhos alheios por termos medo de não sermos compreendidos, não conversamos mais com os desconhecidos, nós só nos fechamos na nossa carcaça de lata e trancamos todas as portas para não sermos incomodados e é nesse momento em que vamos nos perdendo de nós mesmos, mas afinal, quem somos nós? De nós somos feitos ou o laço nos embrulha?



As coisas cotidianas estão ficando tão raras que quando alguém faz algo "humano", como dar um bom dia com um sorriso, nos sentimos a pessoa mais feliz do mundo, nos sentimos a pessoa mais especial do mundo e é muito boa essa sensação, porque acredito que até as máquinas necessitam e clamam, nem que seja de uma forma defeituosa, por assistência, por reparo! Estamos virando máquinas porque a vida está solicitando muito de nós e não temos a capacidade de dizer não para ela; é mais fácil parar de sentir do que se dedicar ou frustrar um nobre pedido da vida; é mais fácil renunciarmos a nossa condição de seres que possuem limites. Almejamos o voo sem ao menos cuidar ou fazer nascer as nossas asas, a verdade é que não temos mais tempo de cultivar, queremos tudo pronto para ontem. Só queremos e nem sabemos mais o verdadeiro significado do querer.

A vida é difícil porque as pessoas são assim e isso vai permanecer mesmo que sejamos as pessoas mais resilientes do mundo; no fundo, o balanço da maré nos mantem seres sensíveis à experiência de estarmos dentro de um barco parado. É necessário também saber estacionar! 

No fim, a leveza vem quando estendemos que só temos duas mãos e dois pés. Que não adianta, assim, segurarmos mais do que aguentamos e, muito menos, corrermos tanto com esses pés que se cansam quando não são respeitados. A calma vem quando conseguimos visualizar concretamente o fato de que mesmo se tivéssemos todas as mãos do mundo, ainda assim, reclamaríamos, pois isso é algo que faz parte da nossa natureza. Nossas mãos não são capazes de nos prender e quando o fazem nos tornamos as tais máquinas anteriormente faladas. Máquinas são acionadas com os toques de outros dedos, os humanos, com os toques de uma alma. Sejamos a alma que toca e a alma tocada.

If it's a broken part, replace it
If it's a broken arm then brace it
If it's a broken heart then face it

And hold your own
Know your name
And go your own way

And everything will be fine










Nenhum comentário:

Postar um comentário