Reflexos

Tanta coisa para dizer, mas nada sai
Parece que já não sou mais eu quem quero falar
Tem várias dentro de mim e uma delas está sendo silenciada
Pego na mão da minha antiga pessoa e cuido dela
Afago seus afogamentos

Tanta coisa para viver e parece que tudo foi vivido
Ao mesmo tempo, parece que acabei de nascer
Há tantas de mim em mim que me calo
Há tanto silêncio que grita 
Encaro-me no espelho a fim de me reconhecer

Abro aquela velha bagagem e está tudo lá
Iludo-me achando que não trago comigo
Meus caminhos são percorridos de forma marcada
E tento mergulhar no inesperado 
Mas é tudo muito raso 

Abro a velha caixa que guardo
E encontro várias de mim
A que fala, a que cala e a que escreve
Todas merecedoras de preces
Tanta coisa para sair, mas nada digo.

Imagem Pinterest



Um comentário: